HomeNotíciasCoronavírusItapevaComerciantes e clientes de Itapeva reclamam de estabelecimentos infratores que descumprem protocolos de prenvenção da Covid-19

Comerciantes e clientes de Itapeva reclamam de estabelecimentos infratores que descumprem protocolos de prenvenção da Covid-19

Coronavírus, Itapeva
Comerciantes e clientes de Itapeva reclamam de estabelecimentos infratores que descumprem protocolos de prenvenção da Covid-19

comerciantes e clientes que frequentam lojas, lanchonetes e bares no centro de Itapeva, vem reclamando frequentemente, dos estabelecimentos que são pouco rigorosos aos protocolos de prevenção da Covid-19.

“Tem padaria e lanchonete aqui do centro que deixa pouca quantidade de álcool em gel para os fregueses higienizarem as mãos, deixam as mesas muito pertinho uma das outras, as filas não tem distanciamento correto. Isso incomoda quem quer consumir sem correr risco de contaminação”, comenta uma senhora que frequenta diariamente uma padaria para comprar pães.

Os comerciantes que seguem os padrões exigidos aos protocolos de prevenção, também reclamam:

“Estamos sendo penalizados por pontos comerciais que são relaxados com as regras de prevenção, tem dono de bar, lanchonete e loja que ficam sem máscara e deixam os clientes ficarem aglomerados sem máscaras dentro do lugar e nas calçadas. Assim quem faz do jeito certo é punido por quem faz do jeito errado!”, reclama um proprietário de loja do Calçadão Dr. Pinheiro.

“Já pedimos para associação comercial e sindicato fazerem moção de apelo ao prefeito, para punir os comércios infratores, mas até agora nada feito. Os diretores preferem bater panela na frente da prefeitura ao invés de conversar sem polemizar esse assunto dos protocolos e horários. O que nós do comércio queremos é trabalhar em condições seguras e atender nossos fregueses sem sermos atormentados por fiscais que não fazem nada contra quem não obedece as regras e enche a paciência de quem está fazendo tudo certinho!. Cadê a fiscalização de mesas nas calçadas aqui na avenida? Não apareceu nenhuma vez até agora!” desabafa outro comerciante da região da Avenida Acácio Piedade.

“Aqui na Rua Pires Fleury até o Camelódromo, passando pela Praça Anchieta, Rua Santana e Calçadão a coisa ferve todo dia de gente sem máscaras entrando e saindo das lojas e lanchonetes, tem loja que lota de cliente no sábado. Não vemos ninguém da prefeitura tomar uma postura de orientar e fiscalizar, estamos abandonados e fazemos o que podemos, mas assim fico até com medo de abrir as portas. Temos que nos precaver cada vez mais”, explica apreensivo um dono de loja de roupas na Pires Fleury.

O Comitê Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus, órgão responsável por definir e coordenar ações conjuntas de fiscalização e recomendações para funcionamento do comércio, nos últimos meses, apenas vem acatando pedidos de associações, sindicatos e vereadores que destoam das reivindicações da maioria dos comerciantes locais e contrariando as regras previstas no decreto estadual, a qual definem os protocolos de prevenção a serem adotados e cumpridos. Em face disso, o Ministério Público já fez recomendações e moveu ação civil pública contra a Prefeitura de Itapeva, exigindo plano de fiscalização mais detalhado e assertivo.

Até o momento o Comitê não informou a quantidade de multas e penalidades aplicadas para estabelecimentos comercias infratores, que desacataram as recomendações de protocolos de higienização, distanciamento social e horários de funcionamento.